21 de janeiro de 2018

Duo Talu - PB Festival Pilares do Tribal



E esta foto cheia de atitude é das lindas Luana e Thaismary que juntas formam o Duo Talu.

Thaismary Ribeiro e Luana Aires – João Pessoa – PB 
Instrutoras do Festival Pilares do Tribal

2h/aula -  Uso da Máscara e construção do personagem no Tribal Brasil, com referência no Cavalo Marinho e na sua relação a comédia Dell Arte.

Uso da máscara e construção do personagem no Tribal Brasil, com referência no cavalo marinho e na sua relação com a comédia Dell Arte. 

O Cavalo Marinho é uma brincadeira popular encontrada na zona da Mata pernambucana e em algumas cidades da Paraíba que reúne música, teatro, canto, poesia e dança (tombo do maguio, trupé e pisada solta). Além da dança, as figuras da brincadeira utilizam máscaras e trejeitos específicos, também acionados na construção dos tipos, arquétipos presentes na Commedia Dell Arte pela introdução de aspectos fantásticos, cômicos ou grotescos desenvolvidos de forma muito particular por cada ator/dançarino. Trabalhamos alguns desses elementos para experimentar a criação de personagem no Tribal Brasil.



Luana Aires (João Pessoa/PB), dançarina (DRT nº 1661), professora e pesquisadora em dança. É licenciada em dança pela UFPB e atua profissionalmente desde 2010 com pesquisa e criação em Fusão Tribal, Danças Urbanas (Locking, House Dance e Freestyle Hip-Hop), Danças Populares Brasileiras e Teatro. Integrou por 4 anos da Cia Lunay (PB), direção de Kilma Farias e 2 anos a Cia. Fuá de Terreiro (PB). Atualmente ministra aulas regulares de Fusão Tribal no Studio de Dança Vanessa Lira, Leo Aires Casa de Dança (PB) e Cenário Arte e Cultura (PB).

Thaismary Ribeiro (João Pessoa/PB) É Bacharela em Teatro (UFPB), Dançarina (DRT n°1663), Passista, Professora, Pesquisadora e licencianda em dança pela UFPB. Nascida no berço do cavalo marinho (Condado -PE), dedica-se à pesquisar danças populares brasileiras e danças étnicas orientais desde 2012. Estuda dança Tribal e Fusões desde 2013 e integrou a Cia Lunay (PB) por 2 anos, direção de Kilma Farias e é integrante e atualmente diretora, da Cia Fuá de Terreiro (PB) desde 2013, integrante do Cavalo Marinho Boi Maneiro (PE) e percussionista integrante do Maracatu Nação Pé de Elefante (PB). Ministra aulas regulares de dança do ventre no Studio Ana Soares (PB) e Studio Joseana Vicente (PB).




A proposta de duo nasce em 2017 com o desejo de pesquisar o corpo em sua totalidade. Trazendo uma recente, mas vasta trajetória artística que passa pela pesquisa na dança tribal, dança do ventre, teatro, manifestações populares brasileiras e música. Na dança tribal vislumbram a vanguarda de pesquisa de fusões e hibridismos. Desde a sua formação o duo já participou de diversos eventos com trabalhos autorais, como Enedo (RN), I Encontro de Danças Étnicas (PB), II Encontro de Dança Tribal da ETA/UFAL (AL), Caravana Tribal Nordeste (PB), Palco Preto (PE), Bailaço (PB), Academia Paraibana de Letras, além de construir uma pesquisa acadêmica com foco na cultura popular. 




A aula desse dueto incrível ocorrerá dia 11 de março, corre e garanta sua vaga: festivalpilares@gmail.com

Onde?
Mostra de Dança alunos/convidados & Inst
Xeros tribais!
Aguardamos você lá...

Pré-venda aberta:






Postar um comentário