14 de setembro de 2015

HISTÓRIAS DE MARIA - O EGYPTIAN

Não desista nunca!!!

Eu e Heli Luiza executando o egyptian - Setembro em Dança CIAEI Indaiatuba/SP
 
Quando enlouqueci com o ATS® o passo que me deixou na fissura foi o Egyptian. Vim com uma técnica equivocada que consistia em puxar um fio imaginário do teto, com pinças (algo assim), então quando me dei conta que aquilo tava coisado (no mal sentido) comecei a busca pelo aprimoramento, neste momento estava passando pelo Brasil a Kristine Adams e a coisa já foi ganhando forma. Daí, surgiu a oportunidade de estudar com a Natalia Espinosa, então a partir deste momento foi uma caminhada incessante pela técnica que tanto queria ter.
 
 
 
Lembro que passávamos aulas inteiras (particulares) repetindo a exaustão, por um mês, se não me engano...o tema era: Egyptian! vamo, vamo, vamoooo!!!!  Foi dedicação total da Nati e minha...ninguém desistiu, era ponto de honra!!!
Kelsey Suedmeyer veio ao Brasil e outra oportunidade, vamos para uma aula particular e qual o tema? Egyptian!!! Dela ouvi algo que me marcou: "danço há 7 anos, esse formato do meu Egyptian comecei a construir no último ano".
 
As aulas e estudos com Kelsey e Nati mantenho regularmente até hoje e acredito que sem prazo para finalizar... o ATS® é um estudo ininterrupto e quando começamos a ensinar, aí devemos estudar ainda mais, pois o compromisso não é só conosco, ele duplica...triplica...
 
 
Ato continuo Mamma Carolena e Megha Gavin desembarcam no Brasil e mais oportunidade de estudar esse passo que virou minha paixão, meu horror, minha alegria e tristeza. É uma relação totalmente bipolar.
 
 
 
Nova bateria de aulas particulares, agora com Aline Oliveira e o que peço a ela (além de dúvidas técnicas de outros temas)..."grava um vídeo pra mim do Egyptian". Assim ela fez!!! :)
Do curso da Kilma saí correndo para aula particular com Lilian Kawatoko, não ...não fui ver Egpytian, mas em breve volto e vou ver o que? Egyptian!!!
 
Eu tenho fissura no Egyptian!!!!
É um desafio, comecei ele com o pé esquerdo, a técnica má construída me fez ter que desconstruí-lo em minha memória muscular e começar do zero, tentando a todo custo me superar... como foi difícil!!! NUNCA ME OCORREU DESISTIR!!! Tudo que no ATS® é mais difícil (no meu corpo) encaro como um desafio...e estudo, estudo....estudo... Quando vejo pessoas o executando com aquele movimento de pinçar algo do teto, me arrepia até a nuca, fico mal... sei como é complexo aprender algo errado e recomeçar, bem... recomeçar pra quem sabe que tá equivocado e quem não descobriu? Nossa, isso me deprime!!! Se tem um passo que me recuso a fusionar é ele, por todo trauma que vivenciei...eu quero usá-lo limpo :)
 
Então, hoje vejo meu Egyptian e penso ELE NÃO É MAIS COISADOOOOOOO!!!!!  kkk
EU TE AMO, EGYPTIAN!!!!!!
 
Se você se sente assim com qualquer passo de ATS® insista, estude, dedique-se...não vá procurar essência na loja ao lado, ela vem com técnica, muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiita dedicação e muita força de vontade... vídeos no you tube, não recomendo, procure uma instrutora, procure várias, pratique... pratique e um dia vem a recompensa.
 
Se eu já cheguei lá com meu Egyptian?
Eu tou chegando....não tenho pressa, tenho foco, força e fé!
É o que digo as minhas alunas!!!
 
Super xeros no pulsante
Maria Badulaques
 
 

 
 







Postar um comentário