20 de agosto de 2015

MAPEANDO O ATS NO BRASIL - SÃO PAULO

Neste post saberemos um pouco mais sobre Mari Fernandes (Espaço Romany), a Sister Studio Beth FallahiFernanda Versini (Espaço Fairuza)

Nossa coluna super especial trará em cada post a história de trupes e bailarinas. Aqui você terá um espaço permanente para publicar sua experiência no ATS® e quem não conhece o estilo poderá se familiarizar com todos que compõem esse cenário. Posso adiantar que o material está incrível, muito emocionante saber mais sobre nossa enorme Tribo de ATS®.

Vamos as estrelas do dia:

Maria Fernandes

"Conheci o ATS por meio da dançarina e professora Lilian Kawatoko, até então apenas minha chefe na loja Khalidah. A dança e sua filosofia de comunidade e sororidade me encantaram de imediato, fazendo com que eu aguardasse ansiosamente até que uma turma de módulo 1 abrisse e eu pudesse iniciar meus estudos. Hoje percebo como o ATS me completa de várias formas, desde o meu corpo e a modificação (pro melhor!) de minha postura até a minha visão de mundo, me tornando muito mais consciente das pessoas ao meu redor e mais paciente com os outros e comigo mesma."


Beth Fallahi


"São mais de 18 anos de envolvimento com danças de vários tipos, resolvi voltaria ser aluna. Minha escolha não foi nada fácil, pois não sou do "tipo" pula de galho em galho (nada contra) mas não faz meu gênero. Para escolher um professor não pode ser um professor, tem que ser O PROFESSOR. Tudo na minha vida foi assim, a dança do ventre (uma árabe), dança indiana (a profissional que mais vivia na Índia do que aqui), aula de bateria, (só feras em SAMPA) enfim. ATS® é coisa séria, tomei cuidado na escolha do profissional (Rebecca Pinero) pois levei muito tempo para fazer um nome de qualidade então preciso ser uma Sister de qualidade. Conheci gente maravilhosa, gente que me dá nojo, é igual a dança do ventre ( deveriam ficar em cada lavando louça). Essa sou eu, sincera, honesta, amo o que faço, excluo da minha vida gente que é ignorante demais pra estar do meu lado. Minhas alunas seguro no cabresto, minhas filhas-alunas não tem tratamento diferenciado. Elas sabem que o ATS® pra mim é coisa séria, leva o meu nome, o da minha família e dos profissionais que me proporcionaram chegar aqui. Custou minha saúde, meu saldo bancário, e etc, ATS® é arte e não é para qualquer um. (Dispenso comentários a meu respeito e ao que penso) Mas Tia Carol criou algo que merece respeito e eu respeito isso. Não me meto no ATS® dos outros e não admito que se metam no meu. Essa sou eu, Beth Fallahi, uma Sister que é um poço de Delicadeza. Só que não"


Fernanda Verzini

"Sou amante estudante da dança há 10 anos.Minha mestra e amiga Fairuza ter me apresentado ATS® foi algo q mudou a minha vida. Ela confiou em mim e hoje somos iguais na TTT. Amor eterno ao ATS ® e gratidão eterna a mãe Carolena."



Postar um comentário