9 de maio de 2015

HISTÓRIA DO ESTILO TRIBAL AMERICANO - PARTE V

UMA HISTÓRIA DO ESTILO TRIBAL AMERICANO

Texto extraído do Blog Tribal Mind
*por Rina Orellana Rall, principal dançarina FCBD 1988-1998
Tradutora: Suzana Guerra | Revisão: Aline Oliveira

Masha Archer

Descontinuou seus estudos com Jamila Salimpour, uma vez que ela estava pronta para se apresentar nos clubes. 

Estudou com Jamila  durante dois anos e meio, uns semestres antes de fundar a Trupe de Dança Clássica de São Francisco que existiu durante quatorze anos (dos anos 70 até meados dos anos 80).

De acordo com MashaJamila sentiu que a dança merecia um local melhor do que restaurantes e bares, mas não havia nada que poderia ser feito sobre isto: "Ela contava que tão desagradável quanto a cena podia ser, você tinha que aguentar aquilo porque era apenas uma competição na cidade".

A disciplina original de Jamila foi extraída e Masha usou a dança para expressar as linhas que ela imaginava. 

Considera que sua herança artística é inspirada por algo especial e responsavelmente usa qualquer parte que deseja: Não usa qualquer rótulo no momento de definir seu estilo. 

Era simplesmente "Dança do Ventre". 

Carolena Nericcio, membro da sua trupe durante sete anos, comicamente chama estilo de Masha, a "Tribal Art Noveau (Nova Arte Tribal), porque ela queria que seu traje refletisse mais que uma mistura de arte Européia".

A abordagem de Masha ao figurino, foi influenciada por Jamila, mas ela a empregou também "em um ecletismo aquisitivo explorador e maluco. 

"Nós enxergamos como uma espécie de Européia, Parisiense-Tunisianas com um visual tribal Bizantino muito forte, o que foi completamente inventado." 

Masha persistiu que o visual era aparentemente autêntico por causa das jóias tribais e peças antigas do Oriente Médio e Europa

Referiu-se a ele, como "Americano Moderno Autêntico" por causa do conceito norte americano de tomar liberdades com autenticidade e origens.
(texto com mais partes)

Texto Original - Aqui


Texto extraído do Blog Tribal Mind
*por Rina Orellana Rall, principal dançarina FCBD 1988-1998
Tradutora: Suzana Guerra | Revisão: Aline Oliveira
Postar um comentário