28 de fevereiro de 2015

45 - MASHA, COMO EXEMPLO

45 por Carine Würch - SEMANA 39

Escrito por Najia Marlyzpara o Gilded Serpent  

Lembro-me de ter comprado este autêntico ornamento de cabeça do Oriente Médio, que aparece na foto, de um fornecedor muito exótico com quem me encontrei no Flea Market Alameda e que dava aulas para um grande grupo de dança do ventre em São Francisco. 

Ela era incrivelmente engenhosa e criativa: Masha Archer, que foi uma das primeiras professoras que criaram uma trupe toda no estilo de dança, que evoluiu para a dança "tribal" na América. 

O Estilo Tribal começou a tomar forma como um estilo real de dança, o qual era ensinado juntamente com o mais tradicional estilo dança do ventre. 

Masha (pronuncia-se "Mah'-xá") certamente me deu uma visão fresca sobre a política local da dança do ventre, além de seu humor seco, conciso e sua persona irresistivelmente estranha, embora eu nunca tive uma única aula com ela. 

Tratava-me com uma grande dose de respeito, e por causa disso, a via como um modelo de como permanecer indiferente, embora cercado pela política da dança, mas ainda assim simpático e envolvido com a dança ao mesmo tempo. 

Ela vendeu uma grande variedade de Mãos de Fátima (Hamsa) em prata, muitas em prata esterlina, prata alemã, latão e muitos com pedras azuis no centro e cheias de outros pingentes pendurados nos dedos. Comprei vários exemplares, que ainda tenho e uso até hoje. As Mãos de Fátima (Hamsa) são supostamente para proteger contra os danos do mau-olhado que tem o poder para mutilar, roubar e matar.

Postar um comentário