3 de dezembro de 2014

134 - MASALIMA / SATRINYA

POSTER DE JAMILA
134 por Carine Würch - SEMANA 27


Parte 2 - Participação no Bal Anat

Tive aulas sobre figutino com uma de suas dançarinas chamada Sabah (mas não a mesma Sabah - Jamie Miller).

Selecionei um nome de dança profissional, Masalima, principalmente porque era um nome que ninguém havia pego anteriormente. Jamila ordenou: "Use-o!

Depois disso, o fiz. Lembro-me de Aida reclamando com ciúmes: "Ela tem o melhor nome!"

Tornei-me cada vez mais consciente dos rumores, das batalhas e das reputações, não só dos dançarinos, mas também das casas noturnas.

Por exemplo: Jamila não apenas dançou no Bagdad, ela era umas das proprietárias. 

Ela descreveu o co-proprietário, um homem chamado Yousef, como "um oportunista armênio". 

Jamila também nos disse os apelidos que os outros bailarinos e professores a chamavam: "Mother J" e "A Fortaleza" eram dois deles.

Jamila falava sobre seu passado nessas aulas aos sábados. Ela disse que seu primeiro marido era de origem indiana, "antes de estar na moda casar com um indiano." Ela e seu primeiro marido se separaram quando ela veio dançar em São Francisco. Então Jamila disse-nos algumas coisas sobre o seu segundo marido. Ele era persa, e quando se casaram, ele jurou que iria quebrar suas pernas se ela continuasse a dançar em público. Este era o pai de Suhaila.

Ouvi falar de uma professora chamada Jodette que morava e ensinava em Sacramento. Ela tinha sido uma estrela infantil na Jordânia, e estava garimpando alunos na platéia da Renaissance Faire, embora ela não estivesse se apresentando.
POSTER DE JODETTE
Jodette estava distribuindo os seus próprios cartões de visita, e estava dizendo a todos que ela era professora do Bal Anat. Também tinha um poster com snujs, muito semelhante ao de Jamila. Este cartaz, ostentava uma foto de Jamila, tirada no Bagdad Cabaret, 20 anos antes e os músicos no fundo incluíam Fadil Shahin.

Numa tarde de verão em 1973, Yousef veio para assistir a aula de sábado de Jamila. Ele continuou me olhando, e perguntou a Jamila quem eu era. Jamila me informou que Yousef queria eu fizesse um teste em sua casa noturna.

Após a aula, fui convidada para uma audição pelo Sr. Yousef. Ele também convidou-me para jantar!

No nosso pequeno tete-a-tete, eu ganhei uma bronca! Jamila e Yousef não eram apenas parceiros de negócios. Segundo Yousef, eles haviam sido noivos. Yousef disse que Jamila e o baterista persa fugiram e se casaram. Jamila telefonou para ele e lhe deu a notícia. Ele me disse: "Jamila disse: "Ele me ama! "" 

De qualquer forma, fiz o teste no Bagdad e fui contratada para dançar uma noite por semana para começar. 

A decoração do Bagdad, na opinião do meu pai era: "esgoto estofado", mas foi o lugar onde conheci as lindas dançarinas Raina, e Simsim, que eram as dançarinas semanais. Armand tocava Kanoon, George Dabai o extraordinário derbakista, George Elias, cantava e tocava e oud.

... continua

FONTE:
** Tradução Livre por Carine Würch **
Postar um comentário