1 de dezembro de 2014

136 - MASALIMA / SATRINYA

AIDA EM 1973
136 por Carine Würch - SEMANA 27

Parte II

A história de Aida, de sua própria experiência, foi diferente. Ela teve aulas durante seis meses com Jamila e dançou na sua primeira "noite de alunos", onde uma estrela nasceu. 

Ela nos disse: "Os árabes me respeitavam, pois minha dança era diferente!" Ela disse que a dança era "tribal" e "tradicional" e, portanto, ela ganhou o respeito deles. Ela nunca usava miçangas/ canutilhos, pois representavam, pelo menos em sua mente, Las Vegas e Hollywood, e "apenas uma stripper usava miçangas/ canutilhos!".

Aida dançou no Bagdad Cabaret, e mais tarde no Casbah Cabaret, bem como a Greek Taverna Restaurant como suas principais fontes de renda. Seis meses em sua carreira de dança, ela sofreu uma lesão no pé, que quase resultou em uma amputação, porque havia sido encaixado muito apertado. Aida disse que isto afligiu muito, pois "dançar era a coisa mais feliz da minha vida." Aida também nos contou um pouco sobre seu chefe no Casbah, Fadil Shahin. Ela contou que Jamila e Fadil trabalhou brevemente juntos no Bagdad. Então Fadil abriu o Casbah Cabaret.

Quando Hillary voltou de suas férias, ela nos deu uma explicação enorme, no qual contou que Jamila foi sua professora, bem como, ela também tinha feito parte do grupo de dança de Jamila, o Bal-Anat. Ela também nos disse, que dançar no Bal Anat era a maior honra que qualquer uma de nós poderia esperar atingir no círculo de dançarinos de Jamila.

Hillary também nos contou mais sobre sua substituta, Aida. Descobriu-se que Aida era uma ex-agente de seguros, e rumores disseram que havia sido demitida, porque "ela parecia uma beduína 24 horas por dia." Hillary nos disse que esta demissão foi a sentença de morte para o casamento de Aida, uma vez que mostrou o quão profundamente ela estava ficando absorvido pela cultura árabe. (Isto não era considerado adequado para uma menina judia naquela época.) De acordo com Hillary, Aida estava aprendendo a falar árabe, cantar canções em árabes, e alterando legalmente seu nome para  soar mais árabe.

Em um ponto, Aida estava morando na casa de Jamila, e as pessoas fofocavam, dizendo que ela agia como uma empregada, sem salário. Aida erroneamente, pensou que ganharia a eterna gratidão de Jamila e seu legado, então ela trabalhava duro nos projetos de Jamila e em seu nome, e rebaixava.

Além de todas as fofocas, durante os seis meses, aprendemos todos os passos de dança necessários e úteis para uma coreografia razoável. Aprendemos também o básico sobre figurino e música. Além disso, nós compramos todos os álbuns gravados necessários, tais como, "Live from the Fez", "An Evening at the Casbah", "The Seventh Veil", um velho LP do Bagdad com o rascunho de Jamila  muito jovem, na capa, feito por Leona Woods. E o novo LP, com Yousef e Raina na capa.

Hillary dançava um solo para nós, instruindo que precisávamos construir nossa própria dança e executar solos em sala de aula. Ela fez uma coreografia de véu com um véu circular. E disse que não era heresia para ninguém, exceto Galya, que então dançou na Taverna Athena em Jack London Square de Oakland, para dançar com um véu circular. Jamila havia considerado assim. 

Durante este tempo, Hillary me disse que eu estava ficando um pouco "boa demais" para a nossa pequena classe, e me disse para ir estudar com Jamila Salimpour.


FONTE:
** Tradução Livre por Carine Würch **

Postar um comentário