23 de agosto de 2014

236 - MISH MISH

236 por Carine Würch - SEMANA 12

KamalaVocê se lembra de algum dos músicos e quais músicas tocavam naquela época?
Mish Mish: Claro que me lembro muitos dos músicos, mas apenas algumas peças de música: Maroun Saba, Maurice, Jamil, Adel Sirhan, Suhail Nasser, Saadoun Al Bayati, Najib Khoury, George Hyatt, Kasim, Ali Darwish, Suhail Kaspar, Hanni Nasser, Aziz Khadra, Tony Ayad, Henri, Manoush Shadeghi, John Belizikjian, Bashir, Raja, Semon Shabkie, Abdel Khalik, Ussri Esmaiele, Adel Moursi, Moustapha Sax, Reda Darwish, Ghazi Darwish, Abdulla Kdouh, Jihad Racy, Mohamid Murray. 

Algumas das peças musicais tocados para mim foram: é claro que eu muitas vezes Hamawy Ya Mish Mish (ouça aqui), mas também Nebtidi Menien El Hikaya (ouça aqui), Fatet Ganbena (ouça aqui), Ala HASB Weddad (ouça aqui), Sawah (ouça aqui), Sallam Allay (ouça aqui), Zaina (ouça aqui), Inta Omry (ouça aqui), Toubie , Tamra Henna (ouça aqui), Arousa , Leyl Ya Layali, Mashael , Sahara City.

KamalaVocê se lembra de quando a cena mudou em cerca de 1977 ou 78 com a chegada da música egípcia e dançarinos para Omar Khayam


Mish Mish: O que foi tão incrível quando os músicos egípcios chegaram, é o fato de que eles realmente tocavam peças musicais inteiras. Foi quando tudo mudou nos shows. Eu acredito que foi também o momento em que a maior parte do estilo de improvisação de dança também mudou. Algumas de nós tivemos tempo de ensaio com os músicos e somos capazes de coreografar nossos shows. Tornou-se mais profissional. 


Houve uma dançarina egípcia que trabalhava na Koko antes da chegada de Nahed Sabri. O nome dela era Sahar. Eu nunca vou esquecer, estávamos todos horrorizados com suas combinações de cores nos figurinos! Esta foi a primeira vez que que se viu laranja e verde misturados. Ela era tão bonita e diferente, e na verdade foi a primeira vez que vi uma dançarina com um show ensaiado e bem feito, assim os shows eram realizados na Europa. Isso foi tão completamente novo e estranho para todas nós. Sempre tivemos cinco partes para a dança:  aparecíamos de véu, fazíamos nossa entrada, primeiro taxim era onde retiramos nossos véus, em seguida, com música rápida novamente, era feito a dança chão, em seguida, música rápida novamente e Solo de Derbake e final. Aqueles eram espetáculos longos! O estilo egípcio era geralmente em três partes. Uma pequena entrada com véu e quase imediatamente descartado, taxim, solo de derbake e final. Às vezes, ela usava algum adereço. Essa foi a primeira vez que vi o candelabro equilibrado sobre a cabeça de alguém. 

Houve também outra dançarina antes de Nahed, que fazia uma dança estilo europeu, mais tarde apelidado de estilo egípcio. O nome dela era Suzie Ashar. Ela comprou e abriu um clube em Hollywood Boulevard perto Grauman’s Chinese Theater e chamou de Sahara. Ela era uma dançarina maravilhosa e eu me lembro agora que ela se assemelhava a Mona Said, em aparência e estatura. Seu truque era equilibrar algo como seis bastões. Um na cabeça, um no peito, um ou dois no quadril e uma em cada mão. Eu tive a oportunidade de trabalhar lá por um tempo também.

Com a chegada de Nahed, tudo pegou fogo! Ela mal falava Inglês, por isso era sempre necessário um intérprete. Felizmente, por minha causa, e de meu marido Faisal, e eu fui capaz de conhecê-la melhor, e obter alguma crítica construtiva quando ela vinha até nossa casa para visitas. Lembro-me de uma festa muito divertida que Shirin fez em sua casa pra recebê-la em nossa comunidade de dançarinos. Todo mundo estava lá (a maioria dos dançarinos que trabalhavam em LA) e tivemos um show particular. 

Seus shows eram quentes e ela também! Sendo assim muito temperamental, muitas vezes que ela não estava feliz com alguma coisa no show: a música que não era do seu gosto, ou alguém dizendo ou fazendo algo na platéia que não demonstrava respeito, como falar durante seu show. Ela, às vezes, começa a xingar em árabe e saia do palco, terminando assim o seu show. Ela era tão mimado pelos músicos e donos de boates, seus caprichos sempre eram feitos. A maioria dos músicos, na realidade, morria de medo dela. Mas todos eles me disseram que ela era a sua bailarina favorita, entre todas que haviam trabalhado.

Aqui uma pequena playist do trabalho de Nahed Sabri em filmes:


FONTE:
** Tradução livre - Carine Würch **
Postar um comentário