14 de agosto de 2014

245 - MISH MISH

245 por Maria Carvalho - SEMANA 11

Buscando material chegamos a incrível Mish Mish!

Lendo sua biografia, garimpando achados, algo me chama atenção, uma entrevista onde ela descreve como se impactou vendo as bailarinas do Bal Anat, naquela tal feira que lançou Jamila e suas pupilas a outro nível de performance, mas não só isso me deixou contemplativa hoje, a notícia do falecimento de um conhecido ator americano teve o poder de me fazer parar.

Onde estas coisas se encaixam, unem... alinham?

Bem, aparentemente em nada, certo? Errado!

Vida e morte, fascínio e apatia... a vida busca um sentido para existir. Parece que não basta estar vivo, há uma necessidade pungente de dar significado ao ato de acordar, levantar, patati-patata, trabalho, casa e tudo de novo.

Então o olhar apaixonado de Mish Mish é provavelmente o que cada um de nós busca na vida. Enamorar-se verdadeiramente por alguma coisa que de certo modo nos livre da asfixia da rotina, eis o grande desafio.

É punk acordar e ver que a vida tá ali, esperando para ser vivida...mas como? onde? com quem? pra que? por que?...ficar parado sai caro, o taxímetro roda rápido.

A dança pode responder várias dessas questões e quando descoberta cedo, como foi com M.M. se torna o ar, a companhia, a resposta e a motivação.

Simbora, vamo que vamo.
Mais de Mish Mish amanhã.
Xeros
Postar um comentário