7 de agosto de 2014

252 - AIDA AL ADAWI

252 por Carine Würch - SEMANA 10


A biografia de AIDA AL ADAWI é fantástica, e tão intrigante quando a de Jamila Salimpour, sua mentora. Temos muitas outras nuances a serem apresentadas, e cada vez mais me delicio nesta empreitada, pois cada leitura é um descobrimento! Espero que vocês estejam gostando tanto quanto eu!




Texto tirado do seu site: http://www.aidaofsanfrancisco.com/aidabio.html 

Aos 4 anos eu comecei a estudar piano. Eu tive que sentar numa lista telefônica para alcançar as teclas. Na escola primária eu tentei violino, flauta e toquei percussão com a orquestra. No ensino médio comecei a tocar o fagote. Minha vida estava centrada em torno grupo de escoteiras e os jovens da orquestra. 

Enquanto freqüentava a California State College, em Hayward, comecei a trabalhar com o San Francisco Boy's Chorus treinando e ensaiando-os com o SF Opera. Eu também estava tocando fagote e treinando com Robert Weede do Metropolitian Opera e depois a minha vida foi tomada!! 

Em 1970 eu estava tocando em uma Renaissance Band na Northern California Faire. "Bal Anat" nos seguia. O show era incrível. Hilary, que era membro de Bal Anat, e eu, nos tornamos amigas. Após o termino da Feira, comecei meus estudos sob tutela da mãe de nossa dança, Jamila Salimpour

Eu era sua pupila, por muitos anos viajando por todo os EUA, ensinando seu  formato. Jamila deu os passos seus nomes e criou os padrões de snujs (címbalos) como os conhecemos. Ela foi a primeira a realmente desconstruir a técnica.  Eu dirigia até uma hora para suas aulas, e ia 4 dias por semana. 

Desde 1971, eu tenho meu ganho através da minha dança e ensino. Estive nos EUA e Canadá, durante as férias na Grécia e na América do Sul, com a internacionalmente conhecidas Rana Naim

Eu trabalhei em San Francisco por 12 anos no Bagdad Casbah, fazendo 45 minutos de apresentação, três vezes por noite, as vezes 5 a 7 noites por semana. 

No Cabash na década de 70:
Formada em Opera, e sendo uma fagotista de uma orquestra por muitos anos,  me deu a vontade de estudar o OudMizmarRiqq Derbake,  bem como a Língua Árabe na UC Berkeley. Com muito estudo e prática, no momento oportuno, eu tocava e cantava com os músicos no palco entre os meus shows. As outras duas noites eu me apresnetava na Greek Taverna e El Morocco Restaurant. Durante o dia, viajava dando aulas, cinco dias por semana.

Estudantes da Arábia Saudita vieram ao San Francisco State na década de 70. Eles pegaram quase cinco andares andares do nosso dormitório. Fomos os primeiros a aprender a sua música e executar o estilo Khaleege de dança nos clubes. Me tornei amiga íntima de uma família que vinha a cada verão de Dammam. Eles me trouxeram meu primeiro vestido. Eu fui a primeira primeiro bailarina nos EUA a usar um "Thobe Nashel" no palco.


Aqui o link completo de sua biografia:
Postar um comentário