4 de agosto de 2014

255 - ANTECESSORAS

255 por Maria Carvalho - SEMANA 10

Bem, semana aí e os projetos galopando...


Fiquei aqui, pensando com meus botões o que falar hoje, fui contemplada com um arsenal gigante de caminhos de pesquisa....mas bateu uma vontade arretada de falar sobre linhagem, respeito e sabedoria.


Só que não deve ser um monólogo, quem se sentir a vontade, compartilhe-se. Tamo junto!


Eu costumo, na descontração que me é peculiar, levar a sério as "coisas" (chamados) que encaro. Então se a dança me faz bem, me jogo... se o ATS vem do flamenco, dança indiana e tal e tal, pô vamos aprender os tais e tais. 

Vi uma entrevista com Masha, e em momento oportuno divulgo, na qual comentava que enquanto sua mestra, Jamila, estivesse ativa ela jamais pensaria em dar aulas, este mesmo comentário li com Carolena, se referindo a Masha


O respeito a nossas tradições não será dada pelo Zé das Couves (nada contra o Zé e sua couves, alias as amo) da esquina, isso tem que vir de dentro pra fora, como um clã que ciente do seu papel pratica o respeito ao que lhe antecede, ah e ao que sucede. 


Muito se aprende observando! Ninguém deve endeusamento a pessoa alguma, mas respeitar é de lei. E não somente os seres humanos, mas a cultura dos povos, sua ancestralidade, o sagrado que é cultuado em determinadas danças e o caminho de aprendizado.


Putz, na época do fast-food, nem a comida presta para alimento do corpo, imagine uma formação fast-food?


Escutando um dos meus cantores favoritos, o Montenegro ele dizia que todos querem a fama, estar na mira dos holofotes, em dois ou três anos não haverá ninguém para aplaudir. Meditemos (oummmmmmmmm)


Portanto, seguir todos os degraus é o caminho mais curto para a plenitude, a sensação de libertação que só vem da sabedoria amealhada com muita dedicação, respeito e paciência. E vc, como tá seu caminho?
Postar um comentário