22 de novembro de 2014

145 - AMINA

145 por Maria Carvalho - SEMANA 25

-- Onde paramos?

Ah, sim... uma casa, proposta de café, Amina sozinha e o dono da boate propondo uma conversinha em outro ambiente. Para se ver longe do constrangimento daquela massagem com óleos aromatizados, incensos, ela toparia ir para qualquer outro local, contudo ao abrir a porta o que se viu foi o quarto de dormir. A corrida em direção da porta foi certeira, ao fundo se ouvia "volte, sempre fui profissional com minhas bailarinas".
Amina precisava de dinheiro, tinha 3 filhos em tenra idade, dançar seria uma forma de completar o orçamento e entrar em forma, mas não a esse preço.

Essa passagem do inicio da carreira deve ser conhecida de algumas pessoas, os pedidos de show privado, um contato mais pessoal é típico, o desconforto provocado também. Fat Chance!!!

Já vi bailarinas serem selecionadas pelo contratante por suas estruturas físicas, beleza, sendo a dança secundária, quando a contratação começa neste viés é certeza de terminar no caminho errado.

Na dúvida não aceitem convites para um café, água, refri... pode terminar de forma intencionalmente desvirtuada, a postura com que se lida com a carreira determina como será tratada.

Vamo que vamo
Xeros
Postar um comentário