1 de novembro de 2014

166 - ASMAHAN

166 por Carine Würch - SEMANA 22

Minha aventura começa! por Asmahan - PARTE 3

Aida cantava canções de Om Kalsoum com a banda. Lembro-me especialmente Inta OmrySelwa e eu ficamos muito amigas. Ela era tão linda, fez figurinos incríveis de pérolas, tinha o cabelo que quase tocava o chão, e era uma dançarina fabulosa. Pedi a Fadil que me permitisse redecorar o camarim. Selwa me ajudou. Arrumei quadrados de carpete de graça e fiz uma nova capa para o piso. Nós pintamos a porta e madeira, e colocamos um papel brilhante azul e prata nas paredes e no teto, que fez com que o quarto se iluminasse. Então, o convenci em me deixar redecorar o local onde toda a publicidade para o clube era vista pelo público. Drapeei um veludo roxo, pedi a todas dançarinas suas melhores fotos de publicidade, e as enquadrei uma folha dourada, e fiz um layout agradável. Isso deve ter sido em 1974. Quando voltei de Londres para ver todo mundo, em 1984, minha foto ainda estava lá e a mesma tela com algumas fotos diferentes nos outros quadros. Minha foto foi exibida durante dez anos em North Beach. Trouxe-a e ainda tenho aquela foto desbotada. 

Aida estava sempre ocupada produzindo o Bal Anat. Ela era o maior suporte de Jamila. Ensaiava os músicos, ajudava as dançarinas com os figurinos, trabalhando com os adereços, ajudando dançarinas com suas performances. Eu tinha comprado uma espada no Lion and The Sun e estava praticando meu equilíbrio. Esperava ser uma dançarina de espada algum dia. 

Jamila foi convidada para ser um artista de destaque em uma convenção de dança do ventre em Las Vegas. Ela estava levando algumas de suas dançarinas e me pediu para fazer um desfile de moda com meus figurinos. Tive que vestir cerca de sete dançarinas; cada um de nós mudou uma vez de roupa, então havia quatorze figurinos diferentes. Estávamos dançando, ao invés de desfilar. O desfile tinha música ao vivo, e precisou um pouco de organização para que todas as dançarinas trocassem de roupa e dançassem. Mas foi tudo um sucesso. 

Aboud Abdel Al chegou a San Francisco com sua orquestra. Ele tinha vindo de Londres, onde havia se apresentado após deixar Beirute por causa da Guerra Civil. Fadil tinha arranjado para este famoso grupo, gravar um álbum com ele. A música que estava tocando era muito diferente do que a música com a qual normalmente dançávamos. Eles fizeram um álbum com George Elias também e a música de entrada, Siqa, era bonita, mas eu não sabia como dançar. Aboud disse que deveria vir a Londres para dançar. Ele disse que poderia dançar em Omar Khayyam. Soube então que eu ia viajar e, eventualmente, iria para o Oriente Médio. Entendi também que precisaria fazer alguns trajes bordados me tornar mais glamourosa. Comecei minha coleção, para uma nova carreira. 

Já estava dançando em San Francisco por três anos. Agora era 1976. Não queria dançar em qualquer outro lugar nos EUA, e tudo que eu conseguia pensar era em chegar ao coração da cultura do Oriente Médio. Estava guardando meu dinheiro e agora começava o processo de preparação para dançar em Londres. Fiz um cinto de contas de azeviche e prata e um sutiã, comprei um tecido de paetês em preto e em prata, que costurei em saias rodadas. Então, fiz um traje strass com as cores de um pavão, um traje bordado em dourado. Também fiz várias saias para cada um, para fazer muitas combinações. Quando tinha seis figurinos, eu pensei que estivesse preparada. Fui a Nova York para dançar no casamento da minha irmã. Enquanto estava lá, fiz uma sessão de fotos com um famoso fotógrafo de moda. De volta a San Francisco, os meus últimos meses foram gastos para vender minhas posses e carro, comprar todas as minhas necessidades de viagem, meu passaporte, a organização da publicidade e portifolios, encerrando todos os meus negócios. A minha última noite no Casbah foi muito emocional. Fadil fez um belo discurso, quando ele me anunciou pela última vez. Eu costumava fazer videos dos meus shows, e tenho este ainda. Meu último fim de semana, North Beach Leather deu uma festa de despedida para mim na Bimbo com 350 pessoas. Levei a banda do Casbah com Fadil, e Aida cantou. Foi realmente uma grande despedida! 

Na manhã da minha partida, Aida veio se despedir. Ela me deu a Mão de Fátima, que foi um presente de Jamila, e disse que era para me proteger. Fui para Londres com a minha tabla sob meu braço, minha espada em um case sobre o meu ombro, uma bagagem de mão com os meus três trajes de moedas, assuit e snujs. Havia quatro malas de roupas e figurinos. Minha bagagem muito acima do peso. 

Selwa me levou para o aeroporto e deixei os Estados Unidos com o meu coração cheio de expectativa, o meu espírito voava com a alegria, pois estava fazendo que havia sido feita para fazer. Estava criando minha vida como uma aventura, estava fazendo o meu próprio destino: isto era meu Kismet!



Fonte:
** Tradução livre - Carine Würch **


Postar um comentário