6 de outubro de 2014

192 - REBABA | RITA ALDERUCCI

192 por Maria Carvalho - SEMANA 19

Mais uma semana com Rita.
Sabe, tem bailarina que ensina muito além de técnica para dançar, são preciosos comentários (as vezes sutis) que ajudam na caminhada vida a fora. Certamente após todas essas semanas juntos (tamo juntoooo!!!) você já tem suas predileções, já elegeu com quem se identifica mais e com certeza se impactou pelas personalidades.

Digo isto, porque me sinto assim! Lendo Rita e Nakish é como se traduzissem o que penso. Acredito numa dança que vai além da natural sensualidade e curiosidade que despertam a Tribal e o Bellydance, creio piamente que a dança unifica - une e conclama os iguais a evoluírem, vejam... os iguais, beleza! A dança é, deve ser, libertadora, mesmo para aquelas que possuem uma absurda auto-crítica (eu, inclusa) o caminho leva a uma indiscutível catarse.

Segunda semana de Rebaba, assisti ao post do domingo, com a entrevista curtinha de Rita, com trajes a la Jamila e aquele sorriso já iluminou meu dia, é o sorriso dos que viram as trevas, foram até as suas labaredas, mas que voltaram e conseguiram elevar os olhos e ver a luz... a dança após esse caminhar se torna ainda mais significativa, há um quê de EU VOLTEIIII (credo lembrei de uma tenebrosa candidatura, Jesus).

Esse lance de fazer diversas danças diferentes, jazz, ballet, flamenco... bah, meu marido até comenta; "você precisa focar", mas pra mim a dança como um todo é o foco, os estilos, as culturas, a possibilidade de fusionar as distinções para convergir em algo homogêneo e significativo. O Marcelo do Tribal Brasil costuma dizer que descobriu em si um pouquinho do Brasil... escuto isto e sinto visceralmente. Então como focar? Só misturando tudo ao mesmo tempo, agora! Morou?!
Daí vem a Rita falar do sufoco pra pagar por tantos cursos e tanto aprendizado, até emocionei, quantos de nós não deixam de comprar roupa, ou sei lá... aquele gênero de necessidade, por conta do figurino, da chance de uma aula ali, para pagar em trocentas vezes o curso com a Carolena (tá chegando, u-huuu). 

O que Rebaba me transmitiu semana passada e assim prosseguirá nesta é uma mensagem (estilo, auto-ajuda kkkk)... ouvia muito das professoras de ginástica olímpica: forçaaaaa, confiiiiia. É bem por aí!!!

Se vc olhar pro lado e conseguir eleger uma pessoa a quem possa contar, debruçar a cabeça com o peso do dia e em troca receber o ombro, sorriso e apoio... tua caminhada na dança, na vida... enfim terá sentido. É como diria Elis..."eu quero uma casa no campoooo".

Tua dança, nossa inspiração.

E vamo que vamo que a segunda semana de Rita e sua vida agitada tá só começando.
Postar um comentário