13 de setembro de 2014

215 - JOHN COMPTON

215 Carine Würch - SEMANA 15

Continuação - texto escrito por Baraka.

Hahbi'Ru faz o Faire agora, e não é uma tarefa fácil! Como você fez para em duas semanas fazer um show? Eu tive uma aula de uma hora na sala de estar de Jamila em Kensington, e eu acho que eu tive uma ou duas aulas no estúdio, em sala de aula. Eu não era muito bom. Mas eu senti, eu senti a música, e eu tinha a energia, por isso funcionou. Eu tinha essa pequena rotina pouco de dois minutos, e eu contei a coisa toda. E quando Jamila pensou que eu estava pronto para aprender um novo passo, ela ensinou-me isso no palco, na frente da platéia. Eu sei que seu filme original Bal Anat tem isto nele. Eu pareço um frango com espasmos, tentando fazer o passo na frente de estranhos, o "back walk figure eight" (oito com caminhada para trás). Mas pelo menos eu estava feliz, para que as pessoas disseram: "Deus, você está se divertindo muito!"

Isso é muito evidente! Então você começou com Jamila, mas o quanto de influência veio dela, em termos de onde você está hoje? Quanto você atribuiria a ela? Ela era uma influência tremenda! Ela era mais para a dança de estilo antigo, e eu acho que eu tenho tomado um passo adiante, trabalhando com pessoas como Patty Farber, que pesquisou as danças de aldeia, que eu incorporei no show agora. Portanto, não é apenas dança do ventre no estilo antigo, é vilarejo em estilo antigo e danças beduínas, e danças de diversos países. Mas, sim, Jamila foi meu primeira professora. Ela me tomou sob suas asas, e disse: "Eu vou indo para transformá-lo em alguma coisa." Ela o fez.

Falando de transformá-lo em algo, como você já teve esse apelido, "O Sheik?" Eu não tenho certeza se isso é algo que você gosta ou não. Bem, na verdade, não; mas eu me acostumei com ele e ele não me incomoda.

 O Sao Francisco Chronicle fez isso. Eu estava trabalhando o meu primeiro trabalho muito sério de dança, uma pizzaria, sexta de meio dia e um jantar show de sábado à noite. Era o final dos anos setenta, e depois fiz uma pausa até o início dos anos oitenta. Em primeiro lugar, a NBC fez um segmento de notícias sobre mim ", Male Belly Dancer no Pizza Parlor." Então o Chronicle desceu e fez um artigo com este grande série de imagens. De fato, foi página inteira na primeira página da seção de entretenimento, e chamaram-lhe "Valentino está vivo e bem em Sunnyvale - John 'The Sheik" Compton ", e ficou desde então. Jamila tinha tentado me apelidar tudo, desde "Gehan" para "Jhi-ra-g", mas não, eu era sempre apenas John. Eu ainda sou apenas John.

Então, Jamila foi uma grande parte disso. Mas vamos ouvir mais sobre Patti Farber. Ela estava no Southern California Faire, mas depois ela também veio aqui porque seu show era tão diferente do Bal Anat . O show de Jamila era de dança do ventre estilo egípcio, o de Patti era "country", dança folclórica turca, e, em seguida, no meio do show, todos eles mudavam de traje e faziam dança folclórica romena. Então foi a minha primeira vez para ser estar no meio de um conjunto de dança folclórica. Isso foi onde eu aprendi muito do meu debke, muitos dos meus passos tradicionais Tamzarah da Turquia, o básico para um dos números de iemenitas que fazemos em nosso show de hoje, e mais um monte de coisas que nem me lembro!. Ela também tinha um show onde todos tinham a mesma altura, todos eles se moviam e pareciam iguais, e eu disse: "Sim. Este é o olhar que eu quero." A esta altura, Bal Anat havia mudado.

Como foi fazer parte de Bal Anat, nos primeiros dias? Como eram os ensaios? Como era a aura nos bastidores? 
Até o primeiro ano que entrei Bal Anat, quando eu vi pela primeira vez, era um monte de solos. Jamila dançava sob copos de água - que era realmente algo quando ela estava dançando! 

Rebaba estava dançava com jarro, Galya solo, a pequena Lisa dançava com cobras - todo mundo fazendo apenas solos. 

O ano anterior a eu entrar, havia danças de trio. Houve uma dança Kathak, e Jamila estava e Mish Mish. Eles dançaram com sinos em seus tornozelos. Eu acho que cobra ainda era um solo. 

Mas havia todas essas pequenas danças de trio. O ano que eu entrei, foi o primeiro ano em que houve danças com grupo maior. Haviam três cobras, ao mesmo tempo, e havia cerca de dez espadas. Mas também havia ainda os três jarros. 

Os dançarinos de jarros me deixavam louco - eu os amava. Eu era um solo, bebezinha Suhaila era um solo, e Galya no final. E eu aprendi quase tudo de assistir os dançarinas de jarros e Galya. Naquele ano, Jamila parou de dançar, mas no último show em cada Faire, eles gritam "JamilaJamilaJamila" e ela atravessava todo o palco, segurando seu vestido de assiut apertado em seus quadris, quase não se movendo, tão sutil - e a platéia enlouquecia. 

Ela era tão poderosa; era simplesmente incrível!


Por Baraka


** Tradução Livre - Carine Würch **
Postar um comentário